Seguidores

segunda-feira, 29 de abril de 2013

sábado, 20 de abril de 2013

MEU SONETO


Poema
Florbela EspancaFlorbela EspancaPortugal1894 // 1930Poetisa
O Meu SonetoEm atitudes e em ritmos fleumáticos, 
Erguendo as mãos em gestos recolhidos, 
Todos brocados fúlgidos, hieráticos, 
Em ti andam bailando os meus sentidos... 

E os meus olhos serenos, enigmáticos 
Meninos que na estrada andam perdidos, 
Dolorosos, tristíssimos, extáticos, 
São letras de poemas nunca lidos... 

As magnólias abertas dos meus dedos 
São mistérios, são filtros, são enredos 
Que pecados d´amor trazem de rastros... 

E a minha boca, a rútila manhã, 
Na Via Láctea, lírica, pagã, 
A rir desfolha as pétalas dos astros!.. 

Florbela Espanca, in "A Mensageira das Violetas"
Tema(s): Alma Postado por marlene de goes



L

quarta-feira, 17 de abril de 2013

EU NÃO EXISTO SEM VOCE


Eu não existo sem você

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você
POSTADO POR MARLENE DE GOES

segunda-feira, 15 de abril de 2013

SONETO XLIII PABLO NERUDA



Pablo Neruda – Poemas Originais Traduzidos
Soneto XLIII
Um sinal teu busco em todas as outras,
no brusco, ondulante rio das mulheres,
tranças, olhos apenas submergidos,
pés claros que resvalam navegando na espuma.
De repente me parece que diviso tuas unhas
oblongas, fugitivas, sobrinhas de uma cerejeira,
e outra vez é teu pelo que passa e me parece
ver arder na água teu retrato de fogueira.
Olhei, mas nenhuma levava teu latejo,
tua luz, a greda escura que trouxeste do bosque,
nenhuma teve tuas mínimas orelhas.
Tu és total e breve, de todas és uma,
e assim contigo vou percorrendo e amando
um amplo Mississipi de estuário feminino.
Pablo Neruda )
(Poema conferido e digitado por mim mesmo e por Rebeca dos Anjos em 27 de outubro de 2012, do livroCem Sonetos de Amor – tradução de Carlos Nejar. Rio Grande do Sul: L & PM, 1979, p. 55)






sexta-feira, 12 de abril de 2013

POEMA A FLOR



 

A Flor

É uma flor perdida entre alvuras e brumas
que eu persigo,
flor obscura nascida em teu corpo de neve e de sol
e escondida de todos, menos do amor...


Encontro-a depois da escalada  entre o céu e a queda.
E quando a tenho em meus lábios, agarrando-me a ti
despenco no abismo.






Orgulho e renúncia
Não penses que a mentira me consola:
parte em silêncio, será bem melhor...
Se tudo terminou a tua esmola
meu sofrimento ainda fará maior...

Não te condeno nem te recrimino
ninguém tem culpa do que aconteceu...
Nem posso contrariar o meu destino
nem tu podias contrariar o teu!

Sofro, que importa? mas não te censuro,
o inevitável quando chega é assim,
-se esse amor não devia Ter futuro
foi bem melhor precipitar seu fim...

Não te condeno nem te recrimino
tinha que ser! Tudo passou, morreu!
Cada qual traz do berço seu destino
e esse afinal, bem doloroso, é o meu!

Estranho, é que a afeição quando se acabe
traga inútil consolo ao nosso fim
quando penso que ainda ontem, - quem o sabe?
tenha sentido algum amor por mim...

Não procures mentir. Compreendo tudo.
Tudo por si justificado está:
- não tens culpa se te amo... se me iludo,
se a vida para mim é que foi má...

Vês? Meus olhos chorando estão contentes!
Não fales nada. Vai! Ninguém te obriga
a dizeres aquilo que não sentes,
nem eu preciso disto minha amiga...

Parte. E que nunca sofrer alguém te faça
o que sofri com o teu ingênuo amor;
- pensa que tudo morre, tudo passa,
que hei de esquecer-te, seja como for...

Pensa que tudo foi uma tolice...
Só mais tarde, bem sei, - compreenderás
as palavras de dor que não te disse
e outras, de amor... que não direi jamais!

(
 Poema de JG de Araujo Jorge, do livro " AMO ", 1938 )
POSTADO POR MARLENE DE GOE








terça-feira, 9 de abril de 2013

RETRATO


Canção
Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar
Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.
O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio…
Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.
Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.
*postado por marlene de goes





sábado, 6 de abril de 2013

PRESENTE LINDO RECEBIDO DO AMIGO ANTONIO RUBILAR



  • AMIGOS, SÃO GOTAS DE PAZ E ESTÃO COM A GENTE, ONDE QUER QUE A GENTE ESTEJA E DE QUE FORMA FOR...SEMPRE!!!

    Amiga querida, como prometi, "trouxe" você aqui ao JAPÃO e coloquei seu nome na linda árvore do Sakurá, para te dar sorte, saúde e perseverança. Em meu blog tem todo o post, que fiz com a certeza de que quem tem um amigo, tem tudo na vida. Um ótimo dia para vc. Fique com Deus!Saúde, sempre. Um beijo amigo!!!Rubi.
    AMIGOS, SÃO GOTAS DE PAZ E ESTÃO COM A GENTE, ONDE QUER QUE A GENTE ESTEJA E DE QUE FORMA FOR...SEMPRE!!!

Amiga querida, como prometi, "trouxe" você aqui ao JAPÃO e coloquei seu nome na linda árvore do Sakurá, para te dar sorte, saúde e perseverança. Em meu blog tem todo o post, que fiz com a certeza de que quem tem um amigo, tem tudo na vida. Um ótimo dia para vc. Fique com Deus!Saúde, sempre. Um beijo amigo!!!Rubi.


























    SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

    FLORES DO SAKURÁ - A VIAGEM DOS MEUS AMIGOS AO JAPÃO





    Olá meus queridos amigos do Blog!
    Apesar de meus raros posts por aqui, não poderia deixar de fazer este ano, a mesma homenagem que fiz a uma parte de meus amigos que invariavelmente interagem comigo por aqui. Colocar seus nomes "colados" nas lindas flores das cerejeiras, o nosso famoso e tão cantado SAKURÁ. É como se no sentido figurado, eu  trouxesse meus queridos amigos numa viagem aqui ao Japão.

    Este ano as flores floresceram  como de costume, mas infelizmente o tempo essa semana no Japão está fechado, muita chuva, pouco sol, mas dentre um intervalo e outro na hora de meu almoço, fui ao longo da semana fotografando com a minha Nikon e o resultado vcs vão ver a partir de agora.

    Identifiquem seus nomes nas fotos abaixo!!!


















































    Bem, nem todos que fazem parte de meu blog estão nas flores...Infelizmente meu tempo por aqui é escasso, mas procurei colocar a maioria que sempre se fazem presentes por aqui. Espero que gostem do resultado!

    Quem identificar o seu nome nas fotos acima, podem "levar" meu mimo ao blog ou ao FACEBOOK de cada um. Meu carinho pela amizade de todos vocês, transcende e sempre faço isso com o maior prazer possível. De demonstrar meu apreço, meu carinho insofismável e a certeza de que, quem tem um amigo, tem tudo na vida.

    Não esqueci de vocês e nem do blog, mas vocês hão de concordar que hoje o Facebook praticamente "contaminou" a maioria dos blogueiros e comigo não seria diferente. Mas quem ainda não for meu amigo pelo Face, gostaria muito de poder ter a amizade de vocês por lá, e inclusive gostaria de contar com o apoio e eventual "curtida" em minha FUN PAGEque abri no Face, intitulada "'RUBI - GOTAS DE PAZ", cujo endereço é...
    www.facebook.com/rubivalente

    Um beijo grande no coração de cada um de vocês...Fiquem Sempre, com Deus!!!
    Rubi Valente.
    POSTADO POR MARLENE DE GOES Com meu mais sincero 
    agradecimento a este amigo tão querido
    Antonio Rubilar Valente
















LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...