Seguidores

domingo, 9 de dezembro de 2012

POEMA DE LUIZ DE CAMÕES


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?
Luís de Camõessite o pensador.com.brpostado por marlene de goes






5 comentários:

✿ chica disse...

Lindo,Marlene! Ótimo domingo e boa semana!beijos,chica

Martha Marquez disse...

Que lindo! Só Camões mesmo pra falar assim!
Bjs,

SANTA CRUZ DIÁCONO GOMES disse...

Marlene: Só podia ser Camões para falar dessa forma e escrever tão lindo poema.
Beijos
Santa Cruz

FOLHAS DE OUTONO disse...

Minha linda !!!!
Boa escolha ...lindooooooo
bjssssssssssssssss

ana costa disse...

Maravilhoso!!!
Um gigante da poesia portuguesa!!!
bj

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...