Seguidores

segunda-feira, 18 de julho de 2011

UM POEMA DE VANIA SANTANA




Eu faço versos como quem chora
De desalento... de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente...
Tristeza esparsa... remorso vão...
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.

E nestes versos de angústia rouca
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.

- Eu faço versos como quem morre

                  POEMA ENVIADO POR VANIA SANTANA
--


             POSTADO POR MARLENE DE GOES

7 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um poema lindíssimo! Adorei! bjs e boa semana!

manuel marques disse...

Bonito poema.

Beijo.

Paulo Francisco disse...

Lindo!
Uma boa semana pra ti

Mgomes - Santa Cruz disse...

Marlene: Lindo poema parabens para as duas flores.
Beijos
Santa Cruz

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo mesmo o poema, parabéns pela postagem.Tudo de bom pra você, beijos.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Amiga,além de fazer uma visita cordial e agradecer suas belas palavras,devo dizer q/ o blog me encantou.
É muito bom encontrar pessoas assim com trabalhos assim,elevando o nível na net. bjs

LUCONI disse...

Um poema belissimo que muito nos sensibiliza, obrigada por compartilhar, beijos Luconi

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...