Seguidores

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

CANTO INTEGRAL DO AMOR



Cegos os olhos, continuarias de qualquer forma, presente,
surdos os ouvidos, e tua voz seria ainda a minha música,
e eu mudo, ainda assim, seriam tuas as minhas palavras.
Sem pés, te alcançaria a arrastar-me como as águas,
sem braços, te envolveria invisível, como a aragem,
sem sentidos, te sentiria recolhida ao coração como
o rumor do oceano nas grutas e nas conchas.
Sem coração, circularias como a cor em meu sangue,
e sem corpo, estarias nas formas do pensamento
como o perfume no ar.
E eu morto, ainda assim por certo te encontrarias
no arbusto que tivesse suas raízes em meu ser,
- e a flor que desabrochasse murmuraria teu nome.
poema de J G De A raujo Jorge 

SITE Oriza martins.com/poesias
postado por marlene de goes

2 comentários:

Roberta Maia disse...

Tão lindo...tão lindo...
Parabéns!!!

Tenha uma Bela Semana!!!
Bençãos Plenas!!!

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um poema simplesmente maravilhoso! Bjs

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...