Seguidores

sábado, 20 de abril de 2013

MEU SONETO


Poema
Florbela EspancaFlorbela EspancaPortugal1894 // 1930Poetisa
O Meu SonetoEm atitudes e em ritmos fleumáticos, 
Erguendo as mãos em gestos recolhidos, 
Todos brocados fúlgidos, hieráticos, 
Em ti andam bailando os meus sentidos... 

E os meus olhos serenos, enigmáticos 
Meninos que na estrada andam perdidos, 
Dolorosos, tristíssimos, extáticos, 
São letras de poemas nunca lidos... 

As magnólias abertas dos meus dedos 
São mistérios, são filtros, são enredos 
Que pecados d´amor trazem de rastros... 

E a minha boca, a rútila manhã, 
Na Via Láctea, lírica, pagã, 
A rir desfolha as pétalas dos astros!.. 

Florbela Espanca, in "A Mensageira das Violetas"
Tema(s): Alma Postado por marlene de goes



L

3 comentários:

✿ chica disse...

Belíssima escolha,Marlene! Sabes bem! beijos,chica

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Marlene
Adoro os escritos de Florbela Espanca, às vezes são pesados e tristes, mas sempre são belos.
Boa semana
Bjux

Sidney santos das neves disse...

Oi amiga, como vai voce?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...