Seguidores

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

AO AMOR ANTIGO






O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.
Carlos Drummond de AndradePOSTADO POR MARLENE DE GOES

SITE O PENSADOR



6 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Que linda exaltação do amor por Drummond! Bjs

manuel marques disse...

Estou de volta,senti saudades.

Beijo.

Anne Lieri disse...

É verdade,Marlene!O amor antigo é eterno!Linda poesia de Drummond!Bjs,

Dalila disse...

Olá, Boa noite... Tem um presentinho pra vc, um banner no meu blog, n esqueça de pegar...
bjs Dalila
www.jejp.blogspot.com

Malu disse...

Quanta coisa bela há nessas páginas a começar pelos versos de Drummond.
Adorável.
Abraços

ValeriaC disse...

Que maravilha este amor antigo...puro e eterno...bela escolha amiga...Drummond é fantástico...
Boa tarde...beijinhos
Valéria

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...